Como é o seu processo de aprendizado?

How Education
4 min readAug 16, 2023

Como melhorar o processo de aprendizado? Você já se fez essa pergunta alguma vez?

Trabalhei por vários anos na linha de frente do mercado de educação, como professor e depois como coordenador de cursos e mesmo que isso não queira dizer muito — sempre penso em um conselho do Yuval Harari para um jovem de 15 anos em um artigo que o historiador escreveu sobre as habilidades do futuro: “não confie demais nos adultos”. Mas, mesmo assim, arrisco dizer que você tem um modelo mental de aprendizado — mesmo que ainda não seja tão claro para você.

De qualquer maneira, resolvi compartilhar alguns tópicos que acredito que possam beneficiar o seu processo de aprendizado. Vem comigo:

Informação e curadoria

Entendo que a informação seja de fácil acesso para a maioria das pessoas e com a chegada do 5G essa democratização será ainda maior. O que eu quero dizer é que com essa quantidade enorme de informações para serem processadas, é muito importante que você tenha pessoas que possam desempenhar o papel de curadoras no seu processo de aprendizado. Essas pessoas estão aí, ao seu redor: são aquelas pessoas que estão trabalhando com a área ou com projetos que despertam o seu interesse e que podem auxiliar você com dicas, hacks, macetes, atalhos, ferramentas e com um pouco do dia a dia delas para que você consiga tangibilizar esse universo que quer explorar.

No seu tempo, no seu ritmo

Acredito que esse é o melhor formato, mas exige um alto grau de responsabilidade com você mesmo: aprender no seu tempo e no seu ritmo. É muito normal que algumas pessoas tenham mais facilidade para absorver algum tema que outras e está tudo bem. O importante é que você crie um ritmo que permita que você inicie e possa prosseguir nesse ritmo, sem grandes interrupções e períodos sem praticar. É como se você estivesse desenvolvendo um novo hábito — e na verdade é isso mesmo. Você pode fazer isso de diversas maneiras: com formações de curto e médio prazo (por exemplo, os cursos de microlearning), com os formatos síncrono e assíncrono, naquele período do dia que você reserva para rever um conteúdo e outro para a prática.

Você como protagonista

Sim, você! O papel de protagonista de aprendizado — seja em uma sala de aula física ou de um encontro em uma plataforma online — deve, necessariamente, passar pelo indivíduo, deve estar voltado para você. Também vale destacar a maneira como você consegue interagir com as outras pessoas — aliás, esse é um ponto que deveria ser explorado ainda mais pela indústria da educação: as soft skills (envolvendo criatividade, empatia, capacidade de trabalhar em equipe, liderança, desprendimento para resolver adversidades e análise crítica, entre outras).

Experimente as metodologias ativas

As metodologias são meio que um complemento do tópico anterior porque nelas você desempenha esse papel de protagonista em formatos de aprendizado como a sala de aula invertida, o desenvolvimento de projetos práticos, o estudo e compreensão de cases etc — para saber mais sobre o tema, sugiro o episódio do Deploy da How Bootcamps.

Para tocar guitarra é preciso tocar a guitarra

Não é diferente para as pessoas que querem se tornar chefs de cozinha, para quem quer se destacar como atleta ou mesmo para aquela pessoa que pretende aprender a codar ou desenvolver a interface de um aplicativo: o aprendizado parte, necessariamente, da prática, da repetição e da sua capacidade de errar, errar e errar quantas vezes forem necessárias. Para isso, você terá que desenvolver sua resiliência, baixar suas expectativas em alguns momentos, — principalmente no início — controlar sua ansiedade e deixar de lado um dos principais vilões do processo de aprendizado: o perfeccionismo.

Resumindo:

  • Nomeie pessoas que podem compartilhar o dia a dia profissional com você.
  • Amplie seu network e troque ideias com pessoas da área que você quer atuar ou deseja aprofundar conhecimento.
  • Opte por formações que sejam mão na massa e que vão te auxiliar com o que você precisa aprender e imediatamente colocar em prática.
  • Crie seus rituais de aprendizado (tempo para rever conteúdos, tempo para praticar e para avaliar seu aprendizado).
  • Aprenda a lidar com os erros e frustrações que são normais para qualquer coisa que for aprender — seja humilde e resiliente.
  • Participe de projetos — nem que sejam aqueles que não remunerem num primeiro momento.
  • Pratique, pratique, pratique.

Se quiser, compartilhe comigo seus processos de aprendizado. Vou gostar de saber como você se desenvolve.

Artigo por Renato “Minas” Buiatti, educador e cofounder da How.

--

--

How Education

Bootcamps imersivos, práticos e de curta duração com facilitadores das principais startups do mundo.